Chegamos a Petrolina ontem no fim da tarde. Depois de 8 horas de viagem, incluindo as paradas para almoço e novos vídeo-depoimentos sobre o rio, estávamos exaustas. Mas não ficamos entocadas no hotel. Queríamos aproveitar nossos diazinhos de folga para curtir e relaxar. O primeiro passo foi ir ao Bradesco falar com o gerente, amigo do meu pai. Precisávamos de uma indicação de oficina de confiança para levarmos o Chiquinho, que sofreu escoriações na luta contra a caatinga do sertão.

 

De lá, saímos direto pro shopping. Patricinhas em busca de compras? Não! Claro que não. Queríamos banho de cultura, cinema. Para nossa surpresa, a meia-entrada aqui custa R$ 3 (com direito a uma mini-pipoca) e estão em cartaz dois filmes: O homem que desafiou o diabo e O ultimato Bourne. Este eu já tinha visto antes de viajar e aquele nós duas nem sabíamos sobre o que se tratava. Apesar de correr o risco de assistir um filme ruim, optamos pelo brasileiro e não nos arrependemos! É mais um longa que retrata o sertão nordestino e mistura lendas da cultura local. Para quem curte regionalismos é uma boa pedida. Depois do cinema, uma voltinha pela cidade e cama! Estávamos cansadas e dormimos bem mais cedo do que de costume.

 

Hoje é dia de São Francisco de Assis e faz exatamente um mês que saímos de casa. Acordamos cedo, mandamos o Chiquinho pro pronto-socorro e estamos mofando no hotel. A expectativa (profissional) de encontrar alguma manifestação ao longo do rio foi por água abaixo. Ninguém fez nada – o que pessoalmente nos deixou muito feliz. Estamos cansadas de trabalhar. Queremos agora descansar, nos preparar para o retorno à rotina, encontrar amigos, familiares e namorado em Floripa. Depois pensamos no TCC, storyboard, flash, textos, fotos, legendas, infográficos…

 

Só em pensar que o trabalho tem que estar pronto até o dia 21 de novembro fico apavorada, assim

como todo mundo (eu acho). Como unir todo o material coletado neste mês? Ah! Falando nisso, esqueci de contar: ontem tivemos o primeiro feedback externo do blog. Quando chegamos a Orocó, fomos até o Sindicato dos Trabalhadores Rurais em busca de um depoimento do seu Landim. O depoimento ficou bem legal e assim que eu me animar, posto aqui. Na hora da despedida:

 

Landim – Eu já olhei na internet, a matéria minha e do padre.

Carol – E o que o senhor achou?

Landim – Gostei, gostei bastante. Parabéns e boa sorte com o trabalho.

 

Primeiro retorno e positivo, quer coisa melhor? Elogios de familiares e amigos é uma coisa, mas de um entrevistado é bem diferente.

 

Enfim, continuamos aqui no hotel… lendo, vendo emails, fuçando no orkut, falando no MSN. A preguiça é grande e a saudade de casa também. Ah! A vontade de tomar banho no Velho Chico! Mas sem o Chiquinho fica difícil. Aqui em Petrolina é como Floripa, para encontrar um ponto provável para banho precisa andar muito.

 

Daqui a pouco vamos buscá-lo, assim eu espero, porque ainda precisamos comprar as encomendas e os presentes. Amanhã nos despedimos do Chiquinho e de Pernambuco e enfrentamos o caos aéreo. A uma hora dessas, devemos estar no vôo 6185 com destino a Salvador. Depois paramos em Brasília, Guarulhos e, se tivermos sorte, às 22h35 pousamos na Ilha da Magia. Falando nisso, como anda o clima por aí?

Anúncios