Faz mais de um ano que voltamos da maior e mais fantástica viagem da nossa vida. Há um ano e uma semana aterrissávamos no Aeroporto Hercílio Luz, em Florianópolis, voltando de Pernambuco, onde ficamos um mês percorrendo os dez municípios do estado banhados pelo São Francisco: Petrolina, Lagoa Grande, Santa Maria da Boa Vista, Orocó, Cabrobó, Belém do São Francisco, Itacuruba, Floresta, Petrolândia e Jatobá. Conhecemos ribeirinhos, visitamos lavouras, vimos as obras da transposição do rio e crescemos em 30 dias o que não tínhamos crescido em 4 anos de curso de Jornalismo.

Este blog foi nosso companheiro durante a viagem. Foi onde descarregamos nossas angústias, medos, deslumbramentos, relatos profissionais e todas as novidades que passaram a fazer parte da nossa vida. Conforme prevíamos, quando voltamos ele parou de ter razão de ser, e foi por isso que as atualizações tornaram-se raras até pararem por completo.

Esperávamos que, sem postagens, o blog deixasse de ser acessado. Nunca pretendemos deletá-lo, pois é uma fonte de pesquisa rica e pessoal para quem fizer uma viagem nos moldes da nossa ou simplesmente tiver curiosidade de saber um pouco mais sobre o que enfrentamos. Achamos que os últimos posts, em clima de despedida, e as datas de postagem deixariam claro que o blog tinha sido abandonado como veículo de comunicação.

Não foi o que aconteceu. Até hoje muitas das matérias ainda são comentadas e geram discussão. Todos os dias recebemos, no mínimo, 30 acessos. Não pretendíamos voltar a atualizar esse blog, mas diante do fato de que ele parece estar tendo uma sobrevida inesperada, é melhor que esclareçamos algumas coisas. A principal delas é que as informações contidas nas matérias estão desatualizadas, já que foram apuradas e publicadas há mais de um ano. Não temos planos de visitar o sertão de Pernambuco novamente, portanto dicas e conselhos de como fazer nosso trabalho não têm mais nenhuma validade.

Também tivemos alguns problemas com uma matéria sobre Belém do São Francisco. Vimo-nos na obrigação de tirar o post do ar, junto com os comentários, e pedimos desculpas às pessoas que se sentiram incomodadas com o texto publicado. Alguns cidadãos belenenses consideraram que distorcemos as informações ou não soubemos expô-las da maneira correta. Queremos deixar claro que não foi intencional.

Conforme dito acima, não pretendemos deletar esse blog. Mas queremos que os internautas que fizerem uso de nossas experiências e textos façam-no tendo em conta que tudo que está registrado no Às margens da transposição aconteceu há mais de um ano. Prova disso é que em uma das matérias falamos sobre a artesã Ana das Carrancas, uma das mais significativas das margens do São Francisco. Na época ela estava doente. Infelizmente, Ana faleceu no início de outubro.

Por último, gostaríamos de agradecer novamente a todos que nos ajudaram, de uma forma ou de outra. Na banca de apresentação do nosso Trabalho de Conclusão de Curso (motivo da realização dessa viagem e, por conseguinte, da existência do blog), realizada em 29/11/2007, tiramos a nota máxima.

Obrigada e até a próxima.

Caroline e Ticiani

Anúncios